Domingo, 22 de Fevereiro de 2004

ARGUMENTO

ARGUMENTO: Manuel vai ao cinema. Só que há um homem incógnito que não pára de falar. Manuel decide tomar uma atitude.

VERSÃO: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

Finalmente, as férias do Natal! Manuel estava contentíssimo e tinha imensos planos preparados para aproveitar cada dia daquelas duas semanas que passavam num ápice. Animadíssimo, propôs aos amigos irem ao cinema, ver aquele último filme que todos os rapazes da idade deles queriam ver.
_ Vamos, claro! _ exclamou uma das amigas, excitadíssima _ Estou ansiosa! _ Então vamos esta noite! _ propôs Manuel.
_ Boa ideia.
«Béu!», latiu o cão, a abanar a cauda, como quem concorda com os amigos.
Depois do jantar, eles encontraram-se à porta do cinema, ansiosos pelo filme. O local estava apinhado de gente atarefadíssima! As empregadas das bilheteiras não tinham mãos a medir com tanta agitação. Foi nesse momento que uma das raparigas apontou para um homem suspeito de sobretudo:
_ Olha, Manuel. Aquele homem está a olhar para a lista dos filmes há mais de meia hora e não decide nada. Que estranho.
_ Não sejas tonta _ resmungou Manuel, distraído, nervosíssimo pela espera da fila para os bilhetes.
Lá entraram na sala e o filme começou. O homem do sobretudo sentou-se num canto escuríssimo, lá atrás, e uma das amigas de Manuel não tirava o olhos dele.
Quando o filme começou, a sala caiu num silêncio total. Mas de repente o homem começou a falar com alguém. Era irritante! Manuel estava fulo. O homem não se calava e já estava a passar das marcas, deixando as outras pessoas enervadíssimas.
_ Vês? _ confirmou a amiga _ É suspeito. Ele vem aqui a esta sala armar confusão. Temos mistério!
Manuel ficou intrigadíssimo. Porque havia de o homem estar a falar sozinho a meio do filme? Ainda por cima, muitos jovens, lançavam olhares e um deles gritou:
_ Cale a boca, velhinho!!
Manuel sentou-se direito na cadeira e sussurrou à amiga:
_ Temos que investigar.
Manuel e as amigas ficaram em pulgas o resto do filme...



VERSÃO: José Saramago... ou algo parecido!

A sala é pequena. Os grandes cinemas já eram passado. Agora os estúdios estão em voga. Manuel olha fixamente o seu bilhete, sem saber se vai de gostar do filme. Está sentado no seu lugar, numa fila central, e de vez em quando levanta-se para dar passagem a um casal jovem ou uma senhora de óculos grossos. Manuel sabe que daqui a pouco as luzes apagam-se, seguem-se anúncios particulares, depois promoções, finalmente o filme. Já se sente o cheiro a pipocas, e ao fundo ouve-se a voz monocórdica de um homem que ainda não se calou. As luzes esvaem-se e as pessoas deixam-se em silêncio. No entanto, a voz do homem, naquela quietude, naquele ouvir nada, soa profanamente alta. Dez minutos depois, Manuel perde a paciência, algo que lhe é característico, e levanta-se, saindo da sala. Procura alguém que seja prestável. A rapariga da bilheteira, uma dessas raparigas que tenta esconder os seus livros de estudo para que o patrão não descubra que está distraída, é loura e tem olhos ausentes. Manuel dirige-se a ela. Desculpe, menina, Diga, Não quero ser impertinente, bem sei que a minha paciência é curta, mas esse pormenor a si não lhe dirá respeito, Talvez diga, o cliente deve ser sempre bem atendido, Certo, certo, por isso me dirijo a si, E em que posso ajudar, É ali na sala três, um senhor que não se mantém calado, Só isso, Acha pouco, Não, Então porque pergunta, Porque o filme ainda agora começou, Já lá vão dez minutos, Sim, mas pelo horário ainda deve estar na publicidade, Já lá vão dez minutos de filme, De filme, mesmo, De filme, mesmo, senão não tinha vindo aqui reclamar, Pois, compreendo, mas não tenho autorização para abandonar as bilheteiras, estou aqui sozinha, Não lhe pedi isso, só quero que me ajude, A situação é chata, É, sim senhora, Quer que eu chame o segurança, Não sei se é preciso tanto, é apenas um homem que não se cala, Mas que o incomoda, Pois incomoda, E o cliente está em primeiro lugar, e um bilhete de cinema não é barato, por isso tem o direito de reclamar, Exacto, Deveria chamar um colega meu, então, Se achar melhor, Acho que sim. A rapariga loura de olhos ausentes levanta o auscultador de um telefone branco. Manuel não consegue ouvir o resto da conversa, mas terá sido curta, incluindo para a rapariga loura de olhos ausentes, pois um sorriso daqueles, mesmo quando se fala na frieza distante de um telefone, não engana ninguém, mais a mais tendo Manuel já idade para se esquecer de certas fantasias que o seu corpo não aguenta, e de parvo não tem nada, pois a idade já lhe ensinou muito. A rapariga loura de olhos ausentes olha para Manuel. O Ricardo irá acompanhá-lo à sala, O Ricardo, Sim, o meu colega. Manuel, teve então a certeza que Ricardo era namorado da rapariga loura de olhos azuis. Seguiu atrás do segurança alto e de corpo rijo. Não sabia ao certo o que iria acontecer, se calhar já o homem se havia calado. No entanto, era tarde. Seguindo o segurança, Manuel voltou a entrar na sala escura.

publicado por Bisbilhoteiro às 14:04
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De tortura a 25 de Fevereiro de 2004 às 02:03
Vai com calpa pah senao matamos-te : ANARKIA CREW ALMADA


De narciso a 24 de Fevereiro de 2004 às 15:14
aprecio o boliqueime intelectual, curto as versões, continue


De ratazana a 24 de Fevereiro de 2004 às 02:32
xupame a pila


De eucaplito a 23 de Fevereiro de 2004 às 19:59
larga as drogas


De gajaboa a 23 de Fevereiro de 2004 às 18:34
tá fixe muito nito! continua! kero mais! a minha mae gostou tambem


De tia-anica a 23 de Fevereiro de 2004 às 16:44
tens ke ser forte, nao gosto do final! a sala escura é um sinonimo de morte e insonia, és mau


De sidsidsid a 23 de Fevereiro de 2004 às 04:52
Ja esta! acima:)
nice


De Cona a 23 de Fevereiro de 2004 às 03:54
´tá fixe


De Manatu a 22 de Fevereiro de 2004 às 23:02
LOLOLOL! Falta a versão SIDSIDSID!


Comentar post

.PodCast




.pesquisar na Vaca

 

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Katya Da Bimba

. Dicionário Japonês

. Blowtime

. Conversas com o Doctor Ho...

. Passion Pit: Manners

. Um asno sem sentido único...

. Relembrar a PAM#7

. Relembrar a PAM#6

. Relembrar a PAM#5

. Relembrar a PAM#4

. Youtube fuck off

. Relembrar a PAM#3

. A Vaca é Moral

. Conversas com o Doctor Ho...

. Paulo Pedroso chupa-me o ...

. FC PORCO é campeãum...

. História com continuação

. Ryu paneleira da praça

. Roisin Murphy para vocês ...

. Satanás Loves Padre Pedóf...

.arquivos

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

.tags

. todas as tags

.links

.subscrever feeds

.Rádio FLAMA ETERNA

http://84.90.106.32:8000

.Translation

.Meter

eXTReMe Tracker

.Cena

blogs SAPO

.subscrever feeds